domingo, 1 de maio de 2016

A curiosidade - quase - matou o gato

Leitores gatomaníacos, hoje vou falar um pouquinho sobre uma coisa que tenho total falta de conhecimento, o que me torna contraditório em muitos sentidos. Mesmo assim, quero contar mais esta estória.
   
 Não lembro bem ao certo, faz muito tempo, mas naquele fim de semana ia rolar uma festa de música eletrônica num club vip - único - da cidade. Lógico que nós iriamos, numa cidade fim de mundo que era aquela, jamais perderíamos um evento tão raro. Eu estava ansioso.
Entramos no táxi,  minha melhor amiga Lua e também um novo amigo o Damien
Como sempre, entrei no táxi fazendo minhas gracinhas. Sentei no banco de trás, olhei para Lua, sorri e pisquei :
-  "Moça" - olhei para a taxista e fiz cara de mal estar. 
-"Moça, por favor, para o carro que vou vomitar!" Neste momento me abaixei e simulei um vomito. O carro parou bruscamente. 
  "- Não, não. No meu táxi não moço!" gritou a taxista.
Com o carro parado eu levantei a cabeça e sorri:
  "- Te enganei!" - Era minha marca registrada.Todos os taxistas me conheciam por esta piada infame, da qual me envergonho hoje. Lua quase morreu de vergonha, mas Damien caiu na gargalhada. Sempre fui o idiota que fazia piadas - moderadas - de tudo e de todos na maior cara-de-pau.
A festa não poderia ser melhor, tomamos todas as músicas e dançamos todas as bebidas.
  -"Lua, você guardou dinheiro para o táxi?"
  -"Nem olhem  para mim!" - Damien já foi adiantando.
Então, estávamos os três bêbados na porta da danceteria sem saber como voltaríamos para casa.
  -"Vamos a pé. Bem ligeiro, sem frescura gente." - Lua olhou para a rua e saiu em disparada quase caindo de cima daquele salto enorme. Na metade do caminho já estávamos  exaustos pelo cansaço e pelo efeito alcoólico. Comecei a prestar atenção em como Lua andava toda empinada encima daquele salto enorme. Naquele momento - não sei por quê - fui bombardeado com um monte de curiosidades sobre o salto. Tentei entender o por quê as mulheres o usam, e também porque as mulheres dizem que um "salto faz toda diferença nas suas vidas". Nunca entendi estas coisas - talvez nunca vou entender  - mas confesso que naquele instante fiquei curioso. 
Cheguei perto de Lua e cochichei no ouvido dela:
  -"Tira o salto que eu quero usar !" - Afinal, estávamos numa rua deserta na madrugada e ninguém ia nos ver. Damien e Lua só observaram eu colocar aqueles saltos enormes nos pés e dar um passo que me levou ao desiquilíbrio instantâneo  que me levou ao chão que me levou a ficar uma semana andando de muleta e de bota ortopédica, devido á uma torção no pé. Nunca mais fui curioso em tentar entender o que  sentem - homens ou mulheres - ao usar um salto pois, no meu caso, só senti dor. Fim. Esta estória não tem moral nenhuma. Foi só pra dizer que eu acho foda quem usa salto sem quebrar os pés.

Quase esqueci de falar. Naquela madrugada dormimos nós três na mesma cama. Lua ficou no meio, pois segundo ela não estava preparada para ver dois homens dormindo tão próximos um do outro. Damien apenas resmungou: "- Isso jamais vai acontecer!". Sei. Ele não é gay, imagina.


Nenhum comentário:

Postar um comentário