quarta-feira, 20 de junho de 2012

"De repente me deu vontade de beijar a tela fria e sem sentimento"

E mais uma vez Ludde viajara para um lugar onde precisavam muito dele. Eu sabia que não podia ser egoísta. Eu sabia que tinha que dividi-lo com o mundo. Era um ciúme com mistura meio-a-meio de orgulho e confiança. Poucas vezes que pude acompanhá-lo nas suas viagens, mesmo sendo a trabalho, foram as melhores de minha vida! Passado algumas semanas a falta de Ludde era sufocante.
Ludde: Mark, liga a cam que eu quero te ver hoje...
Mark: Eu também. Muitas saudades aqui...
Eu sabia que aquela tela gelada e sem vida não ia acabar com a minha saudade. Mas eu tinha que ver Ludde sorrindo. Era uma espécie de combustível para minha vida.
Ludde: Você esta tão lindo hoje!
Mark: Você também esta...
Ludde: Sonhei com você esta noite e olhando pra você aí, tão longe de mim, me deu vontade de beijar a tela! 
Ludde: Credo a gente não evolui mesmo Ludde! A gente é assim desde que nos conhecemos...
Eu sorri. E foi um sorriso muito sincero. Queria que Ludde realmente sentisse a diferença que ele causava em minha vida. Ludde continuou:
Ludde: Nós não evoluímos mesmo... Porque eu, todos os dias quando acordo, me apaixono  e me encanto por você... E começa tudo novamente...
Mark: Teletransporte: ACIONAR...
Naquela noite fui dormir frustrado. Porque sempre acreditei naquela história que: quando o amor é verdadeiro tudo é possível!"

Nenhum comentário:

Postar um comentário