segunda-feira, 17 de junho de 2013

Futuro: Espero que você leia ontem (ou nunca) esta carta!

De: Mark, o gato com medo do futuro.
Para: Meu Futuro, incerto

 "Oi Futuro", eu não sei como começar esta carta. "Olá, como vai?" ou "tudo bem?" (Não sei como iniciar esta conversa). Vou ser informal, porque eu não estou tentando impressionar. Eu não sei quem é você ou como se parece e nem sei quando vamos nos encontrar, mas espero que seja breve (ou nunca). Nós nos encontraremos na rua e ou em um canto mal iluminado de uma casa escura? Às vezes eu olho para as estrelas e imagino como vai ser nosso primeiro encontro (Você já se imaginou encontrando-se comigo?). Quando isso vai acontecer? Você vai chegar, olhar para mim e dizer que tudo ficará bem? Será que vamos nos dar bem?  Talvez você fique uma ou duas noites e nunca volte por não gostar de mim. Tenho muitas perguntas sobre você que  iludem a minha mente há muitos anos. Quando nos encontrarmos quero que você narre como vai ser o resto de minha vida, como em um filme. Vamos sorrir um para o outro, e você vai me pedir uma xícara de café. Espero só ouvir coisas boas, mas ainda tenho medo do que você tem a dizer. Possibilidades. As possibilidades, elas me assombram em meu sono. Tenho medo de te descobrir cedo de mais (ou tarde de mais) e me arrepender. Mas de uma coisa eu tenho certeza: Algum dia vamos nos encontrar, e você me mudará para sempre sempre. Obrigado por estar lendo minha carta. Espero que você tenha lido ontem ou nunca (Pode ser no futuro).

PS: Mudei de cidade. Novo apartamento, novos amigos, novos desafios e muitas conquistas.

quinta-feira, 6 de junho de 2013

"Sou só um gato preto..."

"Então... Quando eu me for...
Eu não quero que você  lembre-se de mim.
Eu não quero que você pense de mim.
Eu não quero que você sonhe comigo.
Eu não quero que você chore por mim.
Eu não quero que você me encontre.
Eu não quero que você me ame mais.
Eu não quero que você sinta dor quando eu desaparecer.
Sou só um gato. Um pobre gatinho preto.
Não me apego, sou egoísta, não sinto saudades e não sei o que é o amor puro.
Quem me conhece diz que estou deixando de ser bicho e  'virando' gente."