quinta-feira, 30 de julho de 2015

"Ele era tudo e desapareceu"

Das crônicas "Viagens de Um Menino Voador":


"Já faz alguns anos que eu quero desaparecer. Quero fugir de tudo e não olhar mais para trás. Mas quanto mais eu tento esquecer mais eu continuo preso no passado. Vivo vomitando minha ansiedade. Quase todas as manhãs levanto com aquela velha vontade de vomitar, olho para as minhas olheiras no espelho do banheiro, respiro fundo e repito mentalmente:
- Está tudo bem Mark. Você vai ficar bem. Apenas respire. Respire e lembre-se de todas as vezes que você sentiu este medo. Todas as vezes que ficou ansioso e  sobrecarregado de tristeza e ódio. De todas as vezes que você sentiu este nível devastador de dor e desespero. E lembre-se também de todas as vezes que você perdeu o controle e acordou três dias depois sem saber onde estava e com um tubo de carvão na garganta. E apesar de tantas agulhas, corredores iluminados, ampolas e cápsulas, você ainda esta em pé.
  
É, a vida tem me preparado muitas surpresas desagradáveis, e apesar de o quão difícil  têm sido, eu sobrevivo sempre. Respiro fundo e confio em que tudo poderá melhorar a qualquer momento. Acredito que esta luta é parte de um longo e doloroso processo. E tenho certeza que, enquanto eu não desistir e continuar a me empurrar para a frente, não importa como as coisas parecem estar sem esperança, eu vou superar isso. Não sei se vou vencer esta luta, mas de uma coisa eu tenho certeza: eu nunca vou desistir."

quarta-feira, 22 de julho de 2015

"Vai, e viva."

Chega um dia rapaz, que você não liga mais.

Conforme o tempo passa, certas coisas se tornam-se irrelevantes. Você então saí de cara lavada, com uma mochila rasgada e não está mais nem aí para o que dirão. De repente aquela roupa repetida não se torna mais motivo de preocupação, agora tanto faz, você tem outros problemas mais sérios pra se preocupar. Pouco importa se vai usar a mesma camisa de dois ou três dias trás.
Sabe aquela neura a respeito de: "o que vão pensar se"? Gradualmente ela vai desaparecendo. Você já não liga mais tanto assim, embora possa se preocupar com isso vez ou outra, mas não é mais frequente. É um processo de amadurecimento, e mesmo assim há muitas pessoas maduras que ainda batem cabeça com essas tais coisas minímas. Sim, este é um processo de auto-aceitação. Você começa a ficar de boa com o seu  espelho externo  e se torna íntimo do seu espelho interno. 
Isso não quer dizer que não há mais problemas, longe disso. Os problemas continuam no mesmo lugar de sempre, mas você vai aprendendo a lidar. Os pequenos detalhes não incomodam mais tanto assim. 
Você sai sorridente mesmo com aquela barba mal feita, vai para rua desarrumado e despreocupado. E mais, você aprende que ninguém liga, todos estão ocupados checando seus smartphones. Você deve deixar o photoshop e seus mirabolantes efeitos de lado e ser feliz, sendo exatamente quem você é, quem você vai se tornar e não, não querer nunca mais se encaixar num padrão imposto pelo sistema. E acima de tudo: se aceitar.  
Então, deixe de lado essas neuras, e vai. Vai ser feliz. Agora. Corre que ainda dá tempo.
(Texto: Leticia Moreira)

sábado, 18 de julho de 2015

"Toda a minha alma"

Conta - me seus sonhos, e eu vou mostrar todos os desejos do meu coração.
Beija - me, enquanto eu corro meus dedos sobre seus cabelos e faço um desenho na sua face.
Abraça - me bem apertado e prometa, prometa que nunca vai me deixar partir.
Ama - me, realmente me ame, e eu te amarei com toda a minha alma.

quinta-feira, 16 de julho de 2015

"Há coisas que não podem ser ensinadas"

Lógicas da vida
"Se você acha que a ignorância não pode ser derrotada, não está se esforçando o suficiente. Se acha que nada é eterno, então você nunca sentiu o verdadeiro amor. Se você quer que eu o ajude, digo-lhe para ajudar a si mesmo. 
Pensa que sou egoísta ? Não. Simplesmente há algumas coisas que eu não posso dizer  nem a mim mesmo, muito menos a você. Você vive, aprende e tem que viver todas essas descobertas sozinho. 
Empirismo é a única maneira de entender como um rouxinol canta. Você deve saber que algumas coisas não podem ser ensinadas. 
Meu amigo, não é que eu quero manter todo o conhecimento só para mim. É que eu realmente não posso te dizer ou ensinar nada. Há algumas coisas que você deve aprender sozinho. Eu não posso te dizer o que é beleza, pois está sempre em mudança para todos nós. Eu não posso dizer o que é bom ou ruim, porque isso está dentro de cada um de nós. Se eu pudesse dizer-lhe, seria de bom grado. Se eu pudesse colocar todos esses conceitos em palavras iria mudar o mundo. Mas eu não posso, então você tem que viver e aprender. Não importa o quanto isso seja difícil. 
Portanto, agora é tempo, vá em frente e revolucione o que você sabe aprenda o que ainda não sabe. Porque há coisas que não podem ser ensinadas, mas podem ser aprendidas."

domingo, 12 de julho de 2015

"Vontade de comer não-sei-o-quê."


-"Doutor, eu preciso saber, o que eu tenho?"

-"Calma filho, diga-me o que sentes?"
-"Uma dor aqui, sabe?"
-"Prossiga."
-"Um vazio na alma Doutor."
-"Certo, pelo que você descreve você deve estar sofrendo de mesmices, de rotinas.
-"E isso é grave Doutor? Tem cura?"
-"Sim, é gravíssimo, mas posso te ajudar. Geralmente está ligado ao modo de vida em que você esta levando. Pode me dizer quando começou a sentir isso?"
-"Sempre. Desde sempre. Acho que nasci com este vazio no peito."
-"E durante sua vida o que você fez para tentar preencher este vazio"?
-"Tudo Doutor. Já fiz tudo. Já fui empacotador, técnico em informática, consultor de vendas, pintor, blogueiro, escrevi um livro que ainda não acabei de ler. Já quis ser um gato, um artista de rua, um canguru.  Fiz tatuagens em mim mesmo, fui hippie  e contador de estórias. Fritei meus poucos neurônios com drogas psicodélicas poderosas. Sempre quis ir morar na Índia. Chorei dias e noites sem cessar, vomitei em ambulâncias, tomei overdoses de ansiolíticos, não quis casar com uma pessoa que me amava em segredo. Tentei a carreira de artesão, desenhista e até quis ser Deus pra tentar matar meu inimigo interior. Já tive a grande realização de ter um filho, mesmo que a mãe não saiba que é meu. Plantei uma ameixeira que está dando frutos. No meio de tantas escolhas e caminhos da minha vida, encontrei pessoas maravilhosas que me mostraram outras formas de viver a vida. Umas moram bem pertinho, as quais abraço todos os dias, outras bem longe, as quais desejo um dia as encontrar e tomar um bom vinho numa tarde nostálgica e conversar sobre a vida. 
-"Prossiga."
-"Minha mãe sempre disse que mesmo sendo um pouco estranho, com alta tendência depressiva e esquizofrênica, consigo lidar muito bem com meus monstros reais e imaginários. Me entende Doutor? Entende minha angústia? Mesmo tendo feito muita coisa me sinto assim, vazio, sabe? Uma vontade de comer não-sei-o-quê e de chorar não-sei-porquê."
-"É, acho que você precisa procurar um bom médico rapaz. E eu também."