quarta-feira, 22 de julho de 2015

"Vai, e viva."

Chega um dia rapaz, que você não liga mais.

Conforme o tempo passa, certas coisas se tornam-se irrelevantes. Você então saí de cara lavada, com uma mochila rasgada e não está mais nem aí para o que dirão. De repente aquela roupa repetida não se torna mais motivo de preocupação, agora tanto faz, você tem outros problemas mais sérios pra se preocupar. Pouco importa se vai usar a mesma camisa de dois ou três dias trás.
Sabe aquela neura a respeito de: "o que vão pensar se"? Gradualmente ela vai desaparecendo. Você já não liga mais tanto assim, embora possa se preocupar com isso vez ou outra, mas não é mais frequente. É um processo de amadurecimento, e mesmo assim há muitas pessoas maduras que ainda batem cabeça com essas tais coisas minímas. Sim, este é um processo de auto-aceitação. Você começa a ficar de boa com o seu  espelho externo  e se torna íntimo do seu espelho interno. 
Isso não quer dizer que não há mais problemas, longe disso. Os problemas continuam no mesmo lugar de sempre, mas você vai aprendendo a lidar. Os pequenos detalhes não incomodam mais tanto assim. 
Você sai sorridente mesmo com aquela barba mal feita, vai para rua desarrumado e despreocupado. E mais, você aprende que ninguém liga, todos estão ocupados checando seus smartphones. Você deve deixar o photoshop e seus mirabolantes efeitos de lado e ser feliz, sendo exatamente quem você é, quem você vai se tornar e não, não querer nunca mais se encaixar num padrão imposto pelo sistema. E acima de tudo: se aceitar.  
Então, deixe de lado essas neuras, e vai. Vai ser feliz. Agora. Corre que ainda dá tempo.
(Texto: Leticia Moreira)

Nenhum comentário:

Postar um comentário