quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Saga dos Diálogos... (continuação)

Obs: Nada está definido na Saga dos Diálogos... Nem os personagens, nem os assuntos, nem os ambientes onde ocorrem... Minha única afirmação é que eles são reais em minha mente! Fica livre para cada um entender o que melhor lhe convier!

DIÁLOGO IV
- Por que você fez isso comigo?
- Se você falar o que eu fiz talvez eu possa te explicar.
- Eu não me conformo com a sua falta de confiança.
- Eu desconfiei de você? Quando? Sobre o quê?
- Você tinha que ter confiado em mim. Nós somos amigos ou não?
- Eu te considero meu amigo e te quero muito bem.
- Então! E nossa amizade é importante para você?
- Todas as pessoas que andam comigo um pouco, ou muito, do caminhar da minha vida conquistam um lugar em minha história e em meu coração.
- Ou seja, minha amizade é ou não é importante para você?
- Você, por me conhecer, deve saber que sim.
- Então! Se minha amizade é importante para você, porque não confiou em mim?
- Por que você acha que eu desconfio ou desconfiei de você?
- Não disse que você desconfia de mim.
- Mas, então?
- Disse que você não confiou em mim...
- E por que você diz isso?
- Por que, talvez, eu pudesse ter te ajudado. Imagino que o que você passou e passa ainda não deve ser fácil; e eu poderia ter te ajudado.
- De que maneira você acha que poderia ter me ajudado?
- Hum... não sei bem...
- Então?...
- Mas eu estaria ali para te dar apoio, para conversar, pra te ajudar, pra te defender...
- Você sabe que estas são minas escolhas, ou o preço delas. E como sempre falo: “somos frutos de nossas escolhas”...
- Eu sei que esta batalha é sua. Mas a certeza de poder contar com alguém ajudaria.
- Acredito nisso sim...
- Por isso que te pergunto de novo: por que não confiou em mim?
- Não confiei como?
- Não falando abertamente.
- Falando o quê?
- Sobre você, sobre seu estado, sobre sua situação...
- Como assim?
- Independente disso, tenha a certeza de que sempre poderá conta comigo.
- Tá bom... Que bom ouvir isso de você novamente, e tenha a certeza de que a recíproca é verdadeira.
- Mas na próxima vez vê se conta, se fala sobre você de boa, aberta e sinceramente. Afinal de contas somos amigos.
- Tudo bem... vou falar sim...

(Comentário do leitor: Amei o texto. Sempre me vejo nas situações em que o dialogo se passa! Porém hoje, diante da situação que eu passo, tenho que discordar de uma frase: “somos frutos de nossas escolhas”... Sabe, nem sempre somos frutos do que escolhemos, as vezes somos obrigados a aceitar situações em nossas vidas que jamais sequer imaginamos passar e somos obrigados a engolir o choro e aceitar esta derrota que ocorre em nosso interior! (PS: Continua escrevendo adoro seus textos!))

Nenhum comentário:

Postar um comentário