quinta-feira, 30 de julho de 2015

"Ele era tudo e desapareceu"

Das crônicas "Viagens de Um Menino Voador":


"Já faz alguns anos que eu quero desaparecer. Quero fugir de tudo e não olhar mais para trás. Mas quanto mais eu tento esquecer mais eu continuo preso no passado. Vivo vomitando minha ansiedade. Quase todas as manhãs levanto com aquela velha vontade de vomitar, olho para as minhas olheiras no espelho do banheiro, respiro fundo e repito mentalmente:
- Está tudo bem Mark. Você vai ficar bem. Apenas respire. Respire e lembre-se de todas as vezes que você sentiu este medo. Todas as vezes que ficou ansioso e  sobrecarregado de tristeza e ódio. De todas as vezes que você sentiu este nível devastador de dor e desespero. E lembre-se também de todas as vezes que você perdeu o controle e acordou três dias depois sem saber onde estava e com um tubo de carvão na garganta. E apesar de tantas agulhas, corredores iluminados, ampolas e cápsulas, você ainda esta em pé.
  
É, a vida tem me preparado muitas surpresas desagradáveis, e apesar de o quão difícil  têm sido, eu sobrevivo sempre. Respiro fundo e confio em que tudo poderá melhorar a qualquer momento. Acredito que esta luta é parte de um longo e doloroso processo. E tenho certeza que, enquanto eu não desistir e continuar a me empurrar para a frente, não importa como as coisas parecem estar sem esperança, eu vou superar isso. Não sei se vou vencer esta luta, mas de uma coisa eu tenho certeza: eu nunca vou desistir."

Nenhum comentário:

Postar um comentário